Novidades

08 Março, 2019
“A lei das sementes permitirá criar uma nova indústria“
O presidente do Grupo Los Grobo, falou com a BCR News sobre várias questões da situação atual. "É um bom caminho para toda a cadeia agroindustrial ter comunicação direta com o presidente", afirmou.

A referência máxima da soja no nível nacional, analisou o momento pelo qual o setor está passando e as relações com o Governo Nacional. "Parece-me muito bem que toda a cadeia agroindustrial tem uma comunicação direta com o presidente, é um bom caminho", afirmou.

"A lei de sementes permitirá a criação de uma nova indústria de processadores de sementes, que até agora tem sido morna. Hoje, a Argentina está produzindo 140 milhões de toneladas, que certamente poderão aumentar muito mais com um maior uso de tecnologia. Por exemplo, o termoplasma é fundamental e para isso você precisa da lei das sementes, que ainda está pendente. Isso permitiria melhorias e incorporação de tecnologia que hoje não está disponível no país, pois com a resistência das ervas daninhas ao glifosato, é preciso inovar ”, argumentou Grobocopatel.

"Em relação à soja vale a pena mencionar que, se vendidos como tal, o principal destino é a China, mas se ele é dividido em farelo e óleo mais de 100 mercados em todo o mundo, então não deve cometer erros, não Pode tornar o processamento menos competitivo porque podemos perder mercados e, quando isso acontece, custa muito recuperá-los ", argumentou.

Por outro lado, e pensando no futuro, ele reconheceu que os vegetais serão muito importantes. "Eu tenho sido bastante ativo com o assunto, eu acho que é uma cultura muito importante e é um produto que está sendo muito procurado em todo o mundo. O aumento na demanda será muito grande, e é por isso que é essencial que saibamos nos beneficiar. Apenas na Índia, a demanda é de 10 bilhões de dólares por ano. É um produto que terá o maior impacto sobre as exportações agrícolas a partir de agora".

Tradução automática do espanhol.

Voltar