Novidades

20 Dezembro, 2021
Digitalização da agricultura: o novo paradigma
Na conferência Transformação Digital do Agro, os principais líderes do setor compartilharam suas experiências, os desafios que se apresentam e os benefícios de uma “mudança cultural”.

A incorporação da tecnologia digital, a gestão da informação, a economia circular, a forte demanda social pela produção sustentável de alimentos, o trabalho colaborativo e a agregação de valor são questões que têm uma resposta na "mudança de paradigma" que implica passar da produção agrícola tradicional a uma mais colaborativo, em que produtores, consumidores e todos os participantes da cadeia de valor e a comunidade em geral estão no centro da cena.

“É muito mais do que o uso de novas ferramentas digitais. É também a adaptação de processos, algumas mudanças de hábitos e formas de pensar e agir, o que nos permitirá produzir mais alimentos de forma mais eficiente e sustentável ”, explicou Ignacio Eguren, CEO da AgroPro e anfitrião do encontro The Digital Transformação do Agro. Eguren, que também foi o maestro dos 6 painéis junto com Luisana López Hiriart.

Contexto

Entre uma longa lista de palestrantes, Marcelo Regúnaga, ex-secretário de Agricultura e diretor acadêmico do Programa de Treinamento de Intercâmbio de Cereais de Buenos Aires, contextualizou. “Estamos vivenciando uma mudança global nos sistemas alimentares, passando para o paradigma de um mundo totalmente integrado e comunicado, no qual o consumidor deseja saber como todos os alimentos foram produzidos”.

Carlos Vidal, representante do INTA e coordenador do projeto Rede Interamericana Agtech do IICA (Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura), disse que existem 457 Agtech na América do Sul (30% no Brasil, 20% na Argentina e entre 10% e 15% na região andina). “É um desenvolvimento inicial, ainda tem que crescer” mas alertou que “a digitalização tem de ser inclusiva ou haverá sectores que ficarão de fora”, para o que levantou a necessidade de participação pública em apoio a novos desenvolvimentos.

Paulina Lescano, palestrante e assessora comercial do Agro Market, comentou que a Agtech surgiu em um cenário em que “é preciso traduzir o bombardeio de informações em um auxílio para a tomada de decisões; Hoje você pode acessar online os preços dos grãos do dia, uma linha histórica (de preços) e pode fazer projeções; Mas os dados de cada empresa também podem ser obtidos imediatamente para se tornarem independentes do mercado. Dessa forma, o resultado do negócio com certeza será melhor ”.

Carlos Becco, Conselheiro Sênior e Palestrante, especificou que “78% dos produtores já aplicam a tecnologia digital”, embora tenha destacado que é uma adoção relativamente menor quando comparada à tecnologia de insumo. “Ainda há dificuldade na adoção da tecnologia digital ou de dados”.

"Mas desta vez acabou - ele sentenciou. Agora é a hora de entrar na era digital. Hoje, a agronomia sozinha não é suficiente. O poder está do lado do consumidor e as respostas devem ser fornecidas. Vamos para um mundo onde se fala mais em algoritmos, internet das coisas e inteligência artificial ”.

A nova empresa agrícola

Para Matías Corradi, Líder de Desenvolvimento de Negócios da The Climate Corporation, o valor agregado que a Agtech oferece às empresas é que elas "as tornam mais eficientes" e dão "a possibilidade de monitorar o que a máquina faz o tempo todo".

“É uma mudança cultural e não é apenas um benefício produtivo, é também uma porta de entrada para a sociedade”, acrescentou.

Lara Giuliani, pecuária, contou sobre a conversão que fez no campo da família com a incorporação de tecnologia. "Eu sei de qual mãe cada bezerro é e posso controlar o rebanho de minha casa", ele graficou. "Se você acha que incorporar tecnologia é muito caro, também deve ser dito que economiza muito tempo."

Marcelo Testa, empreiteiro rural que começou a incorporar tecnologia de agricultura de precisão na década de 1990 e conquistou a certificação GAP para sua empresa, propôs "socializar dados de produção", por exemplo, de aplicações fitossanitárias. “Seria uma boa forma de dizer à sociedade que produzimos de forma segura”, afirmou.

Joaquín Pinnel, Chefe da Unidade Regional de Negócios de Pagamentos da Agrofy, marketplace presente na Argentina e no Brasil que oferece insumos, maquinários e diversas opções de pagamento e financiamento, garantiu que "a tecnologia não tem teto" e antecipou que a Agrofy Pay espera se tornar 'o Mercado Pago del agro '.

Rolando Meninatto, ex-vice-presidente global da Dow Agrosciences e coproprietário da vinícola Mevi, garantiu que o produtor é muito permeável à incorporação de tecnologia "quando vê os benefícios", nesse sentido marcou isso com desenvolvimentos tecnológicos " hoje, cada produção tem diferentes camadas de informações, rendimentos, aplicações e clima ”.

Sustainable

In the panel dedicated to 'Sustainability', María Beatriz “Pilu” Giraudo, honorary president at Aapresid, assured that Argentina is very well positioned in the face of the problem of climate change, thanks to the fact that it has been producing with planting technology for 30 years direct, although he stated that he had not yet “monetized” that advantage. "We must have internationally validated indicators and thus be able to show our added value to export it to the world," she said.

Jimena Sabor, manager at Summabio, a company that produces agro-inputs and achieved B certification (with triple positive impact: economic, social and environmental) stated that "the environmental issue should not be a burden, it should be a motivating element" and assured that " the producers are already doing a more responsible agriculture, taking care of the people who work in their environment and helping health and the environment ”.

Roberto Rodríguez, CEO of Agroads, the well-known agricultural agribusiness platform that connects supply and demand, described that "in recent years there has been an explosion" of technology companies "and now there is the challenge of differentiating ourselves. But the possibilities going forward are incredible, ”he reinforced.

Ana Wegman, from Lartirigoyen y Cía., A consolidated company with 35 years in the sector, stated that "the Argentine producer seeks to renew itself in precision agriculture" and advised innovation companies to take care of "offering solutions that integrate the entire chain of production and provide responses to consumers. Digitization has a lot to give in this regard ”.

What's coming

Gustavo Degli, from Agrotoken, a company born during the pandemic that is presented as "the bridge that connects agriculture with cryptocurrencies", described that through this application a producer acquires a 'token' with which he can then access goods and services. "We are the first to tokenize on agricultural commodities," he said and anticipated that they are preparing to launch their own credit card.

The “trends in digital technology” were described in a panel by Laura Lukasik, from UPL, who incorporated the concept of the new “ecosystem”, which implies a new language “and new business and negotiation models” that, in her opinion, are "Healthier" thanks to information management.

Later, Fernando López Iervasi, General Manager of Microsoft, predicted that there will be "very strong changes in the food sector" due to the constant increase in demand and "because diets are going to change." He warned that "achieving this without technology is unfeasible" and stressed that Argentina and Latin America "have a huge opportunity."

Iervasi also introduced the concept of the metaverse, the next generation of the internet. He commented that it began to be used in France among millennials as a game to interest them in the agricultural world.

Emanuel Bodega Duckwitz, Manager of Production and Agro-inputs in Los Grobo, a firm that produces 260 thousand hectares in partnership with dozens of producers, among other services it provides, said that "recent years have been very revolutionary in incorporating technology into the company" and He said that Mauá -the digital platform they developed- allows their clients to manage relevant business information → agromeat.com

Tradução automática do espanhol.

Voltar